Sobre a Autora

cota

Vanessa Lampert é escritora, apaixonada por literatura e pela língua portuguesa, não necessariamente nesta ordem e não com alguma hierarquia. Estuda produção textual há mais de dez anos, foi uma entusiasmada aluna do falecido Curso de Formação de Escritores e Agentes Literários (RIP), da Unisinos, que era um pedaço de paraíso do qual será eternamente órfã.

Pouco antes, no Rio de Janeiro, deparou-se com dois casos de textos com autoria trocada, originalmente produzidos por amigas suas da blogosfera (existia esse termo naquela época) e se deu conta de que a ideia que as pessoas tinham a respeito de produção de textos era bastante equivocada. Começou a investigar e criou o site Autor Desconhecido para desvendar a autoria de textos que circulam pela internet deformados, picotados, alterados e vilipendiados, rodando como “Autor Desconhecido” ou com autoria trocada. É quase como um banco de dados dos resultados de testes de DNA literários.

Nem todos os textos expostos têm qualidade literária, mas todos recebem de volta a dignidade perdida.

Atualmente trabalhando em projetos da Editora Unipro, continua achando que vale a pena valorizar o trabalho do escritor e que pessoas que falam de si mesmas em terceira pessoa são esquisitas.

Blog pessoal da autora: http://www.lampertop.com.br

IMPORTANTE:


“Não somos uma equipe :-) O Autor Desconhecido foi criado e é mantido por mim, apenas. Não procuro por autoria desvendada em comunidades da internet. Já até tentei atalhar buscando respostas para autorias duvidosas em fóruns, mas acabei conseguindo me confundir mais do que esclarecer alguma coisa, então prefiro manter meu método jurássico de busca via google, bibliotecas virtuais e físicas e contatos por e-mail ou telefone com os possíveis autores, caso ainda estejam vivos, ou seus descendentes, caso saibam de alguma coisa. É um trabalho solitário, que demanda tempo e não é de se espantar que este site fique abandonado de vez em quando.  Atualmente, ainda tento trazer para cá os posts do antigo endereço, tarefa que tenho de fazer manualmente, já que esqueci a senha da conta do blogger e não há como recuperar. O endereço antigo é http://www.autordesconhecido.blogger.com.br

Contatos, pelo e-mail vslampert@gmail.com

Vanessa Lampert

6 Comments

  1. Lady Salieri

    Vanessa, muito bom espaço! É uma referência pra mim, e sempre passo aos meus conhecidos. Que bom que tem gente de olho nessas coisas. Obrigada por compartilhar essa info tão importante conosco!

    Reply
    1. Vanessa Lampert (Post author)

      Obrigada, Lady Salieri! Seja sempre bem-vinda por aqui. :-) Beijos!

      Reply
  2. Fabianne

    Olã Vanessa, Sou sua fã e divulgo seu belo trabalho….tenho um texto para descobrir a autoria certa…postei como sendo de Mario de Andrade, mas já fui contestada por algumas pessoas dizendo ser de Rubem Alves ou Ricardo Gondim. Ajude-nos a dar os devidos créditos a esse lindo texto?

    “Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para a frente do que já vivi até agora. Tenho muito mais passado do que futuro. Sinto-me como aquele menino que recebeu uma bacia de cerejas. As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço. Já não tenho tempo para lidar com mediocridades. Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflamados. Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte. Já não tenho tempo para conversas intermináveis, para discutir assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha. Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar da idade cronológica, são imaturos. Detesto fazer acareação de desafectos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário-geral do coral. ‘As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos’. Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa… Sem muitas cerejas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana; que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade, caminhar perto de coisas e pessoas de verdade, O essencial faz a vida valer a pena. E para mim, basta o essencial!”

    Reply
    1. Vanessa Lampert (Post author)

      Fabianne, muito obrigada! Vou concluir a pesquisa e publicar os resultados desse aí, mas pela minha pesquisa inicial, já vi que não é nenhum dos autores que você citou. Parece ser de “Mario Coelho Pinto de Andrade”, um escritor angolano. Ainda falta descobrir a publicação original, mas para mim está bem claro que é dele.

      Beijos!

      Reply
  3. Antonio Pereira Dias Neto

    Olá Vanessa. Bom dia!

    Esse meu poema: A pedra. Circulava como de autor desconhecido ou com o nome de plagiadores , Induzindo as pessoas a reproduzirem versões alteradas do mesmo. Seguem aparecendo como de Chaplin, Renato Russo, Fernando Pessoa, sem citar a autoria…
    O real autor é Antonio Pereira Apon. Todos os esclarecimentos em: http://www.aponarte.com.br/2007/08/pedra.html ou http://recantodasletras.com.br/poesias/276888

    Inclusive, já está disponível a nova edição do livro: Essência (onde foi originalmente publicado esse poema em 1999):
    http://www.agbook.com.br/book/139532–Essencia ou http://www.clubedeautores.com.br/book/139532–Essencia

    A forma original do poema:

    O distraído, nela tropeçou,
    o bruto a usou como projétil,
    o empreendedor, usando-a construiu,
    o campônio, cansado da lida,
    dela fez assento.
    Para os meninos foi brinquedo,
    Drummond a poetizou,
    Davi matou Golias…
    Por fim;
    o artista concebeu a mais bela escultura.
    Em todos os casos,
    a diferença não era a pedra.
    Mas o homem.

    Título: A pedra
    Nome do autor: Antonio Pereira Apon
    Link oficial: http://www.aponarte.com.br/2007/08/pedra.html

    Se possível, conto com a sua colaboração na divulgação desses esclarecimentos em Blogs/Sites e Redes Sociais.

    Um grande abraço.

    Antonio Pereira Apon

    Reply
  4. Antonio Pereira Dias Neto

    Olá Vanessa. Bom dia.

    Meu texto (Receita para bem viver), vem aparecendo na internet, equivocadamente como de autoria do mestre Rubem Alves.

    Isso porque alguém incluiu a seguinte citação do famoso autor, sem fazer a devida separação, distinção do que é de quem:


    Quem pensa que a comida só faz matar a fome está redondamente enganado. Comer é muito perigoso. Porque quem cozinha é parente próximo das bruxas e dos magos. Cozinhar é feitiçaria, alquimia. E comer é ser enfeitiçado”.

    O autor é: Antonio Pereira Apon. O link para a postagem original é http://www.aponarte.com.br/2007/07/receita-para-bem-viver.html

    Pegue a sua vida, deposite nela fartas porções de otimismo, coragem, amizade, perseverança, humildade…

    Adicione muita
    reflexão, bom humor, esperança, solidariedade, discernimento, cautela, bom ânimo, espiritualidade, paz…
    Tempere tudo com bastante convicção, sinceridade, fé, bons propósitos, criatividade, empreendedorismo…

    Coloque pitadas de arte, voluntariado, lazer…

    Leve tudo ao forno da consciência, pré-aquecido por sua resolução em modificar-se, mantendo em temperatura máxima, até desaparecerem: A vaidade, orgulho, violência, arrogância, indiferença, egoísmo, avareza, maledicência, inveja, vício, hipocrisia, intolerância, fanatismo…

    Quando o aroma do bom exemplo se espalhar, é hora de saborear e servir essa delícia que alimenta a alma, combatendo os “radicais livres” do medo, o “colesterol” do stress, o “enfarto” da competitividade, o “câncer” do consumismo, a “verminose” insaciável do ter, e outras moléstias que atormentam nosso ser.

    Um grande e fraterno abraço.

    Reply

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *